Imprimir esta página
Segunda, 12 Abril 2021 15:10

PERITOS PAPILOSCOPISTAS GERANDO CONHECIMENTO NA COMUNIDADE CIÊNTIFICA Destaque

Avalie este item
(0 votos)

A imersão dos Peritos Oficiais em Identificação Humana na produção do conhecimento vem enriquecendo o celeiro mundial das pesquisas científicas, ao mesmo tempo, em que fortalece as ações de prevenção e combate à criminalidade e contribui com as instituições na identificação inequívoca de vítimas de acidentes de grandes proporções.

Foi publicado nesta semana um artigo científico na revista internacional Forensic Science Research que discute a importância do método primário de identificação necropapiloscópica e os resultados obtidos em quatro diferentes desastres nos quais as equipes brasileiras de DVI estiveram envolvidas: a queda do avião Air France Flight AF447 no Oceano Atlântico, enchentes e deslizamentos no Estado do Rio de Janeiro, Brasil, a queda do avião LaMiaFlight 2933 na Colômbia e o rompimento da barragem de rejeitos em Brumadinho, Brasil. No artigo, também foi relatada a utilização do sistema automático de captura e identificação de impressões digitais, denominado Alethia, desenvolvido pela Polícia Federal e utilizado no processo de identificação das vítimas nos dois últimos eventos citados acima. A Forensic Science Research é um jornal do grupo editorial britânico Taylor & Francis, revisado por pares e publica as pesquisas mais recentes em várias disciplinas forenses com o objetivo de promover as ciências forenses por meio de artigos de pesquisa de qualidade, revisões e relatos de casos. Esse trabalho foi desenvolvido por: Marco Antonio de Souza (Papiloscopista Policial Federal), Gabriel de Oliveira Urtiaga (Papiloscopista Policial Federal), Luciene Marques da Silva (Papiloscopista Policial Federal), Flávio Roberto de Melo (Papiloscopista Policial Federal), Jade Kende Gonçalves Umblino (Papiloscopista Policial Federal),  Renata Cristina Grangeiro Ferreira (Perita Criminal da Polícia Civil do Distrito Federal) e Simone de Jesus (Papiloscopista da Polícia Civil de Goiás). O trabalho contou ainda com o apoio da Associação Brasileira dos Papiloscopistas Policiais Federais – ABRAPL. Segue o link do artigo: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/20961790.2021.1882745

Lido 400 vezes Última modificação em Segunda, 12 Abril 2021 15:31